Entretenimento · Livros

5 lições que aprendemos com “Extraordinário”

 

1

No livro de 2012 da R.J. Palácio aprendemos lições muito especiais sobre enxergar o outro além de sua aparência. A história, contada através do ponto de vista de diferentes personagens, gira em torno de August Pullman, o Auggie, que nasceu com uma síndrome genética que deixou como sequela uma deformidade facial, que mesmo após diversas cirurgias continuou presente no rosto do menino. A história se dá quando o menino começa a ir à escola, aos 10 anos, após uma decisão dos pais. Até então Auggie era ensinado pela mãe, mas agora enfrentará a dificuldade de passar pelo quinto ano – algo que já é difícil por si só, ainda mais para alguém como Auggie. Esse livro consegue tocar o nosso coração de uma forma muito especial, por isso separei 5 das lições que aprendi com ele.

2

 

As pessoas conseguem ser muito maldosas

“Garoto rato. Estranho. Monstro. Freddy Krueger. E.T. Cara de lagarto. Mutante. Conheço os apelidos que me dão. Já estive em parquinhos suficientes para saber que crianças podem ser cruéis.”

August Pullman

Página 84

Embora Auggie tenha conquistado a amizade de várias pessoas, algumas não conseguiam aceitá-lo com facilidade e, mesmo sem querer, às vezes demonstravam seu espanto e desconforto. O menino sempre percebeu isso, o que nos deixa bem chateados ao longo do livro, e com vontade de fazer todo mundo ler a história e se encantar com ela, aprendendo a respeitar todas as diferenças!

O amor da família é incondicional

“August é o Sol. Eu, a mamãe e o papai giramos em volta dele. O restante de nossa família e de nossos amigos são asteroides e cometas flutuando ao redor dos planetas que orbitam o do Sol. O único corpo celestial que não gira em volta de August, o Sol, é Daisy, nossa cadela, e isso porque, para seus olhinhos caninos, o rosto do August não é muito diferente do rosto de qualquer outro ser humano. Para Daisy, todos os rostos são parecidos, chatos e pálidos como a Lua.”

Olívia Pullman

Página 89

Uma coisa que fica bem clara, mesmo nos momentos mais tumultuosos, é o quanto a família de Auggie ama ele. Todos estão sempre dispostos a abrir mão das suas tarefas ou compromissos por ele, algo às vezes complicado para a irmã, Via, mas que também ama muito o irmão. Isso inclui a cachorrinha Daisy, sempre acompanhando Auggie, fazendo com que a gente crie um carinho especial por ela também!

Não, não é tudo um acaso

“minha mente gira com isso, mas então surgem pensamentos mais suaves, como um terceiro violino em uma sinfonia de cordas. não, não é tudo um acaso. se fosse, o universo nos abandonaria à própria sorte. e o universo não faz isso. ele cuida das suas criações mais frágeis de formas que não vemos. como com pais que amam cegamente. e uma irmã mais velha que se sente culpada por ser humana com relação a você. e um garotinho de voz grave que perdeu os amigos por sua causa. e até uma garota de cabelo rosa que carrega sua foto na carteira. talvez seja uma loteria, mas o universo deixa tudo certo no final. o universo cuida de todos os seus pássaros.”

Justin (nas partes do Justin ele não usa letras maiúsculas, haha!)

Página 209

Essa fala do Justin, namorado da Olívia, me deixou refletindo bastante após ler o livro pela primeira vez. Isso acontece depois que ele vai até a casa da garota e conhece o irmão dela. Auggie fez amigos incríveis, dispostos a tudo por ele, além da família que está sempre com ele. Às vezes estamos acostumados com o que temos e não notamos que, mesmo que a situação esteja difícil, temos sorte. Temos sorte pela família e amigos que temos, e todas aquelas pessoas que fazem sacrifícios pela gente. (Fica aqui meu muito obrigada a todos aqueles amigos verdadeiros! Vocês são muito especiais!)

 

Todos somos especiais, e cada um tem suas dificuldades

“É como aquelas pessoas que às vezes você vê e não consegue imaginar como seria estar no lugar delas, seja alguém em uma cadeira de rodas, ou alguém que não pode falar. Eu sei que sou essa pessoa para os outros, talvez para todas as pessoas naquele auditório.

Para mim, porém, sou apenas eu. Um garoto comum.

Mas, se quiseram me dar uma medalha por ser eu mesmo, tudo bem. Aceito. Não destruí a Estrela da Morte nem nada parecido, mas consegui passar pelo quinto ano. E isso não é fácil, mesmo que você não seja eu.”

August Pullman

Página 308

Depois de sofrer muito com bullying, Auggie consegue mostrar para as pessoas o quão especial ele é, despertando a admiração de todos por passar por todas as situações difíceis e não desistir. Alguns momentos do livro são super difíceis para o menino, mas ele venceu mais essa etapa!

Todos nós vencemos o mundo

“Todo mundo deveria ser aplaudido de pé pelo menos uma vez na vida, porque todos nós vencemos o mundo.”

August Pullman

Página 313

No final do livro há uma lista de preceitos, e entre as lindas frases está essa pérola do Auggie. Ele, mais do que ninguém, nos mostra que é possível sim, com todas as dificuldades, vencer o mundo, e que a vida é linda, basta mudarmos nosso olhar. Isso significa também olhar a vida do ponto de vista dos outros, e admirá-los pelas pequenas grandes vitórias do dia-a-dia.

4

Esse livro foi uma das mais lindas lições que tive na vida, e acho, muito sinceramente, que todo mundo deveria ler. É uma ótima reflexão sobre o quanto temos potencial e deixamos de aproveitá-lo!

3

E então pessoal, já leram esse livro? O que acharam?

Muito obrigada por tudo!

Beijinhos!!!

Anúncios

4 comentários em “5 lições que aprendemos com “Extraordinário”

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s